Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

2 Dedos de Conversa

Blog pessoal, onde pretendo fazer deste cantinho a " Mi casa es su casa ". Experiências pessoais , troca de idéias, e incentivo a (re)descobrires o teu lugar neste planeta. O que te move , o que te apaixona. SeR para CresCeR

2 Dedos de Conversa

Blog pessoal, onde pretendo fazer deste cantinho a " Mi casa es su casa ". Experiências pessoais , troca de idéias, e incentivo a (re)descobrires o teu lugar neste planeta. O que te move , o que te apaixona. SeR para CresCeR

Qua | 21.03.18

Parábola do Elefante acorrentado

Sónia Azevedo

elefante.jpg

 

 

O Elefante é um animal de grande porte. Até aí já todos nós sabemos.

E estamos acostumados a ver este grande, forte e belo animal nos espetáculos de circo, presos na pata por uma corrente e por uma estaca no chão. 

Questionamos-nos como é possível ele não se soltar.

É por não ter força de se libertar daquela corrente?

Ou é pelo condicionamento a que ele está submetido desde pequeno, de submissão , obediência e desconhecimento da liberdade?

Enquanto animal ainda jovem e pequeno, ele foi habituado a estar preso e a não ter força para se libertar.

Cresceu com esse condicionamento no pensamento. Por mais que na altura lutasse, o esforço era infrutífero.

Então ao chegar à idade adulta, deixou de tentar, de se esforçar.

Ele simplesmente não foge, porque desconhece a sua força, desconhece as suas capacidades.

Esta parábola funciona perfeitamente como uma metáfora, para o que muitas vezes acontece nas nossas vidas.

O que assumimos como incapacidades, limitações , ou porque ouvimos repetidamente nãos ao longo da nossa vida.

A maior parte das vezes estamos acorrentados aos nossos pensamentos e crenças, são estes que nos limitam, e muitas vezes não correspondem à realidade.

Não estou a dizer que não há limites , ou que podemos alcançar tudo, mas até que ponto te tornaste redutor pelos teus próprios pensamentos ou por aquilo que te fizeram acreditar?

Pensem nisto.

 

Bjinhos e Amor

Sónia

4 comentários

Comentar post